Doenças e Emoções – Por que ficamos doentes?

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

A palestra da Dra. Márcia Lika Yamamura no Congresso Mundial de Acupuntura Médica, a se realizar no México, no dia 4 de junho, abordará um tema contundente e intrigante com base nos princípios da Medicina Tradicional Chinesa. Ao observar o alto grau de importância do período de vida intra-uterina e suas repercussões ao longo da vida, a médica pediatra e acupunturista vai explicar as emoções destrutivas durante o período gestacional como raiva, revolta, tristeza, mágoa, depressão e suas repercussões como doenças em bebês e na idade adulta.

Filhos não planejados

Estudos recentes mostram que somente 48% dos casais planejam ter filhos, enquanto que 52% não planejam ou não desejam, entre outras razões, por considerar o momento inadequado e prejudicial à carreira, ou impeditivo à promoção no trabalho, ou até mesmo por já terem várias crianças. Seja por qual for o motivo, Dra. Márcia Yamamura salienta que a negação frente à uma gestação não planejada ou indesejada gera uma sensação de rejeição no bebê – uma das piores emoções -, e como resposta à essa rejeição, instala-se o sentimento de revolta ou medo, fazendo com que a criança venha a assumir uma personalidade ‘rebelde’ ou ‘boazinha’, no sentido de anular a si mesma em prol da vontade e aprovação do outro. Em ambos os casos de personalidade, os reflexos aparecerão na vida adulta.

Rejeição por Gênero

Não é novidade que se o primeiro filho for menino, seja comum a expectativa e o desejo de que o segundo, venha ser uma menina, principalmente para aqueles que querem ter um casal de filhos ou mais. Essa é a outra causa de rejeição, considerada como um dos fatores de distúrbios comportamentais ou de doenças pós-natal, além da não aceitação de um bebê num determinado momento da vida.

Qual é o impacto desses desejos sobre os bebês?

A Medicina Tradicional Chinesa, com seus mais de 4 mil anos de conhecimento e observação, evidencia que, ao nascer uma menina, quando o desejo da mãe era o de ter um menino, pensamentos masculinos podem manifestar-se durante o crescimento da criança. “Isso acontece porque, embora o genótipo seja XX, pode haver alteração no fenótipo, com a presença de características mais masculinas, como por exemplo, o estreitamento da bacia e depleção mamária. A partir dessa situação, a criança se sente rejeitada e pode reagir com rebeldia e revolta, desencadeando enxaqueca e cefaleia catamenial. Trata-se de um conflito subconsciente de quem não consegue resolver a questão ‘Eu sou um homem ou uma mulher?'”, explica a médica.

Quando o sentimento advindo da rejeição é o medo, a criança costuma dizer sim a tudo, porque o ‘não’ intensifica a rejeição e, consequentemente, o desamor. A partir dessa percepção inconsciente, ela assume ser ‘boazinha e cooperativa’, chegando às raias do perfeccionismo para sentir-se amada e aprovada, o que inevitavelmente, lhe provocará o sentimento de estar ‘carregando o mundo nas costas’. É o peso e o preço que faz descambar para doenças futuras, elucidadas pela Dra. Márcia Yamamura:

Esses pensamentos/sentimentos podem acarretar a malformação do sistema reprodutor, e ainda, provocar transtornos de comportamento afetivo na vida adulta, quando tendem a buscar um parceiro que sinta o mesmo conflito, ou seja, que também viveu a rejeição de gênero pela mãe. Outras doenças que podem ser desencadeadas nos casos em que nasce uma menina, quando o desejo da mãe era por um menino, podem ser dispareunia, dismenorreia, infertilidade, ansiedade e fobia de rejeição, consequentes da crença em que o comportamento de ‘boa menina’, conquista o afeto.

Nos casos em que o nascimento de um bebê do sexo masculino se contrapõe ao desejo da mãe por uma menina, ela afirma que a criança na fase de crescimento, poderá apresentar características mais femininas, o que se traduz numa aparência mais suave, parecendo mesmo com uma menina. O que se nota é que a mãe, geralmente, deixa o cabelo do menino comprido, até mesmo, expondo em fotografias. Aos olhos de outras pessoas, faz parecer que é uma menina. Essas crianças – explica – estão mais sujeitas a agressões sexuais pelo pai, padrasto, padrinho, tio, avô ou colegas de escola, porque o que eles vêem é uma menina.

Quando adultos, esses homens que foram desejados ‘meninas’, poderão apresentar problemas de virilidade e desordens eréteis. Já as mulheres que foram desejadas ‘meninos’, tendem a enfrentar situações que geram emoções ruins, às quais elas se resignam, porque a mente interpreta ‘eu tenho que suportar essas situações, não há solução”. Quando esses sentimentos assumem tal intensidade, a ponto de se tornarem emoções negativas na vida das mulheres, ocorre que, após fertilizadas e, mesmo antes de saberem que estão grávidas, afetam a coluna vertebral do feto ou causam malformações nessa estrutura que, mais tarde, podem manifestar-se na adolescência como escolioses.

Para os interessados em participar do Congresso a ser realizado na Cidade do México, no Hotel Hilton Reforma, mais informações poderão ser obtidas através do site e da página no Facebook.  

Baixe aqui o PDF da programação.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here