Fiocruz desenvolve método inédito para tratamento de câncer

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Proposta permite perfil molecular de tumor de cada indivíduo, ajudando na escolha do tratamento mais adequado 

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) apresentou nesta semana uma metodologia inédita no mundo para o tratamento de câncer. A proposta, basicamente, traça o perfil molecular do tumor e do tecido saudável de cada indivíduo e foi desenvolvida dentro da área da Fiocruz responsável por processos inovadores: o Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde (CDTS).
O método pode ser aplicado em pacientes com qualquer tipo de câncer, com resultado mais eficiente para o câncer de mana, segundo a especialista do CDTS, Tatiana Tilli.
“Indiretamente, representa uma economia financeira substancial para o gestor hospitalar em termos de despesas com efeitos colaterais, novas internações e ciclos longos de tratamento. Isso é parte da inovação em saúde que estamos propondo”, disse a pesquisadora.
Segundo estimativas Organização Mundial da Saúde (OMS) os casos de câncer no mundo poderão chegar a 27 milhões até o ano de 2030. O câncer de mama, o mais comum em mulheres, representa hoje cerca de 25% do total de casos da doença. No Brasil, o Sistema Único de Saúde (SUS) é responsável por 70% do tratamento realizado para todos os tipos de câncer.
Com o perfil único de cada indivíduo a escolha de medicamentos para atacar a doença também tende a ser mais eficiente e, ainda, a minizar os efeitos colaterais dos tratamentos.
“A proposta da Fiocruz permite a indicação de uma terapia mais precisa, o que significa, em termos de benefícios diretos, mais chance de cura, menos efeitos colaterais e melhor sobrevida para os pacientes”, diz Nicolas Carels, especialista em bioinformática da fundação, ao citar benefícios da nova metodologia.
O pesquisador acrescenta que, além de reduzir a agressividade das terapias para cada paciente, a metodologia deve resultar em economia, pois as chances de apresentar os medicamentos mais adequados ao pacientes serão maiores.
O coordenador-geral do Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde da Fiocruz, Carlos Medicis Morel, completou também que o novo tratamento também beneficiará a equipe médica, os gestores de hospitais e os laboratórios.
A iniciativa receberá recursos do edital Apoio ao Empreendedorismo e Formação de Startups em Saúde Humana do Estado do Rio de Janeiro, da Federação de Apoio à Pesquisa (Faperj). E, para Morel, a mudança de paradigma com o primeiro edital da Faperj para investimento em inovação e startups é motivo de comemoração.
“A tecnologia é objeto de empreendedorismo, de investimentos e parcerias públicas e privadas, e a missão do CDTS/Fiocruz é levar o novo conhecimento gerado pela pesquisa e desenvolvimento tecnológico até a população.”
Esse artigo foi publicado no site Jornal GGN em 29/07/2017
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here